http://www.americanaquariumproducts.com/15WattUVSterilizer.htmlhttp://www.americanaquariumproducts.com/15WattUVSterilizer.htmlAs doenças Amyloodinium ocellatum, Cryptocaryon irritans (ictio) e Brooklynella hostilis são grandes vilãs dos aquaristas. Muitas pessoas empregam o uso de filtros ultravioleta e ozônio no combate à elas. No entano, a Eco-Reef não os recomenda pois a sua eficácia é baixa. Os principais motivos:

- Para funcionar adequadamente, esses filtros precisam de uma filtragem mecânica (de preferência até 1 µm) antes de a água passar por eles. Senão a partícula é muito grande e fica difícil neutralizar o que está no centro dela. No entanto, empregar filtros mecânicos antes de filtros esterilizadores em aquário é bem difícil, especialmente pela dificuldade em equilibrar os fluxos de entrada e saída.

- A potência/intensidade da lâmpada/equipamento deve ser regulada de acordo com o patógeno. Uma regulação qualquer e arbitrária não irá combater todas as doenças.

- A velocidade que o fluxo deve passar pelo filtro deve ser razoavelmente baixa, senão o seu tempo para neutralizar o patógeno diminui muito.

- TODA a água do display deve passar pelos filtros antes ir para o sump; ou então ao subir do sump para o display. Caso contrário, os patógenos terão um caminho livre entre o sump e o display.

 

Mas ainda assim, há o principal e fatal problema: essas doenças possuem um estágio de vida bentônico - ao se despredenderem do peixe, vão para o substrato sem passar por quaisquer filtros que estejam no sump.

 

Portanto, UV e ozônio são úteis - para combater organismos que fiquem o tempo todo suspensos na coluna d'água, como certos tipos de bactérias e microalgas. Mas infelizmente não é o caso dessas doenças...