Sargaço

[i]Sargassum fluitans[/i]. Observe os flutuadores – estruturas redondas utilizadas para armazenar gás e mantê-los flutuando. (http://www.algaebase.org/search/species/detail/?species_id=E332f754e1da619ed)Sargassum fluitans. Observe os flutuadores – estruturas redondas utilizadas para armazenar gás e mantê-los flutuando. (http://www.algaebase.org/search/species/detail/?species_id=E332f754e1da619ed)O sargaço é uma alga que frequentemente observamos quando mergulhando próximos de costões rochosos. Diferentemente da maioria das macroalgas, você sabia que o sargaço não é uma planta? Na realidade é um protista. Você deve estar se perguntando: como um organismo com folhas e essa cara de planta não é uma planta? Pois bem, esses órgãos similares a folhas e caules na realidade são tecidos de origem protista (com diferentes proteínas e pigmentos), e não vegetal. 


Corais Brasileiros Parte 8 - Mussismilia braziliensis

[i]Mussismilia braziliensis[/i]. Foto de Amanda Ercília (http://www.arkive.org/mussismilia/mussismilia-braziliensis/image-G82867.html)Mussismilia braziliensis. Foto de Amanda Ercília (http://www.arkive.org/mussismilia/mussismilia-braziliensis/image-G82867.html)Continuando as nossas postagens sobre os corais brasileiros: esta espécie é a Mussismilia braziliensis, o verdadeiro Coral-Cérebro brasileiro. A M. braziliensis é encontrada somente no estado da Bahia e forma grandes colônias que podem ter até um metro de diâmetro.


Corais Brasileiros Parte 7 - Siderastrea stellata

[i]Siderastrea stellata[/i]. Foto de Allan Souza (http://www.arkive.org/siderastrea/siderastrea-stellata/)Siderastrea stellata. Foto de Allan Souza (http://www.arkive.org/siderastrea/siderastrea-stellata/)Continuando as nossas postagens sobre os corais brasileiros: esta espécie é a Siderastrea stellata, um coral duro que é endêmico da costa brasileira e bastante encontrado na região Nordeste, inclusive exposto em poças de maré. A S. stellata possui pólipos bem pequenos, mas que são capazes de capturar pequenos crustáceos. 


Palhaços Designer

Exemplar de Black Ice, um peixe-palhaço designer cultivado na Eco-Reef.Exemplar de Black Ice, um peixe-palhaço designer cultivado na Eco-Reef.Peixes-palhaço designer são variedades de Amphiprion ocellaris e Amphiprion percula (ou híbridos entre essas duas espécies) que não ocorrem na natureza e cujos colorações e padrões foram criados em cativeiro. Isto é, foram sendo criadas “raças” que nem é feito para cachorros. Entre os mais populares palhaços designer estão o Platinum (todo branco), o Midnight (todo preto) e o Black Ice (foto abaixo). Todos em produção na Eco-Reef!


Corais Brasileiros Parte 6 - Porites astreoides

[i]Porites astreoides[/i] (http://www.abc.net.au/news/2015-11-18/porites-astreoides/6948180)Porites astreoides (http://www.abc.net.au/news/2015-11-18/porites-astreoides/6948180)Continuando as nossas postagens sobre os corais brasileiros: esta espécie é a Porites astreoides. As espécies do gênero Porites são as principais construtoras de recifes no Oceano Atlântico, principalmente no Caribe. Suas colônias possuem esqueletos grandes e pólipos pequenos. Além de P. astreoides, a espécie P. branneri também ocorre no Brasil.


Corais Brasileiros Parte 5 - Millepora braziliensis

[i]Millepora braziliensis[/i] com vários crinoides associados. Recife de Fora, Bahia. Foto de Arthur Güth, Linda Waters e Miguel Mies (IO-USP)Millepora braziliensis com vários crinoides associados. Recife de Fora, Bahia. Foto de Arthur Güth, Linda Waters e Miguel Mies (IO-USP)Continuando as nossas postagens sobre os corais brasileiros: esta espécie é a Millepora braziliensis, também conhecida como Coral-de-Fogo. Mas é um coral? Mais-ou-menos. Na realidade este organismo é um hidrozoário, o que o faz ser um parente muito mais próximo de uma água-viva do que de um coral. Inclusive, os Corais-de-Fogo produzem pequenas medusas que habitam o plâncton. 


O que é plâncton?

Exemplos de fitoplâncton (a diatomácea [i]Coscinodiscus centralis[/i]) e zooplâncton (o copépode [i]Oithona similis[/i]). https://www.eoas.ubc.ca/research/phytoplankton/diatoms/centric/coscinodiscus/c_centralis.html e http://www.natureatlas.org/zooplankton/midatlantic/IDcopepod.phpExemplos de fitoplâncton (a diatomácea Coscinodiscus centralis) e zooplâncton (o copépode Oithona similis). https://www.eoas.ubc.ca/research/phytoplankton/diatoms/centric/coscinodiscus/c_centralis.html e http://www.natureatlas.org/zooplankton/midatlantic/IDcopepod.phpVocê sabe o que é plâncton? É bem simples. Todos os organismos que não possuem a capacidade de vencer as correntes marinhas são organismos planctônicos. Isto é, estão à deriva. Os organismos do plâncton são tipicamente divididos em duas categorias: fitoplâncton (organismos fotossintéticos – microalgas e diatomáceas) e zooplâncton (organismos de origem animal – pequenos crustáceos e larvas de invertebrados).


Corais Brasileiros Parte 4 - Scolymia wellsi

Exemplar de [i]Scolymia wellsi[/i] fotografado no Recife de Fora, Bahia. Foto de Arthur Güth, Linda Waters e Miguel Mies (IO-USP)Exemplar de Scolymia wellsi fotografado no Recife de Fora, Bahia. Foto de Arthur Güth, Linda Waters e Miguel Mies (IO-USP)Continuando as nossas postagens sobre os corais brasileiros: esta espécie é a Scolymia wellsi, também conhecida como Esmeralda. Este coral possui um único e solitário pólipo, tipicamente de cor verde ou roxa. Encontrado tipicamente no nordeste e em Guarapari (ES), este coral é uma das duas únicas espécies de corais duros encontradas no famoso Arquipélago de São Pedro e São Paulo (território oceânico brasileiro, localizado no meio do Oceano Atlântico), juntamente com Madracis decactis.


Corais Brasileiros Parte 3 - Mussismilia harttii

Exemplar de [i]Mussismilia harttii[/i] fotografado no Recife de Fora, Bahia; note o poliqueta [i]Spirobranchus giganteus[/i] entre os pólipos. Foto de Arthur Güth, Linda Waters e Miguel Mies (IO-USP)Exemplar de Mussismilia harttii fotografado no Recife de Fora, Bahia; note o poliqueta Spirobranchus giganteus entre os pólipos. Foto de Arthur Güth, Linda Waters e Miguel Mies (IO-USP)Continuando as nossas postagens sobre os corais brasileiros: esta espécie é a Mussismilia harttii, da família Mussidae, que pertence a um gênero que existe somente na costa brasileira. Além de M. harttii, estão neste gênero a M. hispida (mencionada em uma das postagens anteriores) e a M. braziliensis. A M. harttii ocorre no nordeste brasileiro e é fácil de ser diferenciada das outras duas espécies, pois possui pólipos mais separados.


Leptocephalus

Larva Leptocephalus de moréia (http://australianmuseum.net.au/blogpost/science/large-muraenid-leptocephali)Larva Leptocephalus de moréia (http://australianmuseum.net.au/blogpost/science/large-muraenid-leptocephali)Moréias são peixes, e como a grande maioria dos peixes, ela possui desenvolvimento larval. Veja ao lado uma foto de uma larva de moréia, que leva o nome de Leptocephalus. Esse organismo foi fotografado na Indonésia e estava próximo de realizar a metamorfose e se tornar um juvenil.